24 de fev de 2012

VALORES


“Tu não pedes muito da vida, mas pouco demais.”

Para o ego, esta frase eh uma confirmação de que nada eh suficiente e que poderíamos pedir muito mais. Sendo o  problema do ego um de escassez nada eh suficiente para apaziguar a sensação de vazio que sente.  O ego esta sempre a procura de situações e coisas que lhe preencham internamente.  Sempre a procura de coisas que satisfaçam o corpo. Os seus valores são o oposto do que o universo oferece.

A razão de pedirmos tão pouco eh por não entender o poder que temos e o que esta a nossa disposição.  O resultado eh que limitamos as possibilidades oferecidas pelo o universo. Este limite eh imposto pela identidade falsa que criamos.

O universo esta disposto a dar tudo que precisamos, esta eh a lei da abundancia.  Não precisamos sacrificar as coisas que temos, os confortos terrenos para sermos seres espirituais.   Porem existem certas leis universais que precisam ser adotadas pela mente para que exista uma sintonia entre a mente e o universo.

Quando esta sintonia não existe, o desequilíbrio interno causa uma serie de problemas.  Para compensar este desequilíbrio, a mente tenta preencher o vazio com as coisas que pensa precisar, dando um alivio provisório.

Este eh o valor dado pelo ego a coisas que não tem valor algum para o espírito.  Valorizando o que não tem valor, estamos sempre afirmando a nossa identidade como uma coisa real, trazendo infelicidade, tristeza e acima de tudo, o medo.

Mas para entender porque o ego se comporta desta maneira precisamos entender que a separação causou um sentimento de medo, culpa, vazio, que precisa ser preenchido.

O ego nada mais eh do que uma acumulação de problemas adquiridos durante as experiências de vida, agravadas pela separação da nossa identidade real.
Mas o mal que causamos sem estar cientes do que fazemos eh enorme.  Para preencher este vazio, procuramos coisas que nos satisfaçam  provisoriamente.  O resultado e que não damos tempo para sentir ou analisar as ramificações destas ações.

O amor que eh o ingrediente mais importante em todas as nossas ações, parece ser esquecido no dia a dia da vida, assim como compaixão, caridade, falta de julgamento e conexão espiritual.  Todas aquelas qualidades que formam o ser humano influenciado pelo seu espírito ficam esquecidas pela mente egóica. Para esconder a dor interna, o processo de esquecimento através da procura eterna e bem intenso. No fim sabemos que alguma coisa esta errada mas não sabemos como concertar.

O que o Curso ensina eh que existe uma maneira. Mas para que esta mudança aconteça precisamos aceitar que os valores que o ego acredita serem importantes  levam a destruição.  Buscando estes valores o ser humano permanece escravo da sua ilusão.

Os valores oferecidos pelo o universo são eternos.  Nada se modifica, eles são estáveis, porque são baseados no amor.  Eles nos relembram que somos espíritos livres de qualquer influencia do passado.  Eles são baseados no perdão, na falta de julgamento, na união, na cooperação.

O universo em realidade não quer remover nada, apenas acrescentar os valores que realmente trarão felicidade.  Eh verdade que certos valores que acreditamos  serem extremamente importantes para a nossa sobrevivência, desaparecerão.  Mas quando isto acontece eh porque eles perderam a sua importância.

As lições parecem estar pedindo mais do que estamos dispostos a dar para o crescimento espiritual.  Mas este sentimento eh temporário porque a promessa de amor, paz e felicidade eh muito forte internamente.  Os valores que ate então foram tão importantes começam a ser substituídos por valores reais.

Esta transferência ocorre quando aceitamos que passado não tem o poder sobre quem somos.  As mensagens do passado eventualmente estão sendo substituídas pela visão do Espírito Santo, através de uma mente saudável. 
Para isto acontecer precisamos manter a crença que somos espíritos, em vez do corpo.  Estar ciente que o espírito eh livre, e que esta liberdade pode ser nossa, se deixarmos os valores do passado irem embora.

Mesmo em momentos de profunda escuridão, onde todos nos vamos uma vez ou outra e que muitos vivem constantemente, temos que afirmar dentro de nos que não importa a onde estamos no momento, quanto deprimidos podemos estar, que existe um espírito e que somos ele.  Nestes momentos precisamos afirmar a divindade, pedir a Deus, ao universo, que segure a nossa luz ate o momento que possamos segurar.

O Curso não quer retirar nada apenas oferecer um meio de participarmos do mundo sem sermos deste mundo.  Assim podemos manter os olhos abertos.  Ser livres.  O Curso esta apenas ensinando que mesmo neste mundo podemos viver livremente. A diferença neste caso e que podemos ter as coisas materiais que queremos, relações emocionais, desde que não estejam preenchendo um vazio emocional. O valor que damos a estes acontecimentos se transformam quando sabemos quem somos em realidade.

Em um dos meus artigos eu mencionei que para a mudança interna ocorrer, temos que sentir em vez de pensar.

Talvez esta seja uma das ocasiões onde precisamos fechar os olhos e sentir a liberdade do espírito dentro de nos.  Sentir a sua forca, o amor, a invulnerabilidade, a conexão com outros espíritos, a forca do universo, a energia unindo todos. Ao mesmo tempo imagine esta liberdade sendo dada a todos aqueles que lhe rodeiam, que tem estado presos pelos seus pensamentos no passado.

Mas para que tudo isto aconteça, precisamos fazer uma escolha.  Quais são os valores que consideramos importantes.  Do momento que decidimos escolher os valores eternos, mesmo que no começo seja em teoria o universo nos ajuda.

Esta e uma das lições que nos forca a fazer uma escolha, parar de inventar desculpas, achar razoes para não mudar.  Por ser tão simples e tão clara, a mensagem apresenta duas opções.  Espero que a sua opção seja procurar o eterno em vez do temporal.  Mudança eh difícil.  Mas lembre-se que o amor que existe no universo esperando a sua escolha eh imenso.

Lição 133.  Recomendo a leitura desta lição que serviu de base para o meu artigo.  E uma lição maravilhosa.

  



Nenhum comentário: