29 de dez de 2014


FELIZ ANO NOVO
Gostaria de desejar a todos os amigos que participam do grupo Milagres da Mente um Feliz Ano Novo cheio de alegria, saúde e paz.
Este artigo pode ser interpretado de uma maneira espiritual ou psicológica. Para mim estes dois assuntos eventualmente se encontram. Cada vez mais a ciência concorda com o que os sábios do Oriente ensinaram milhares de anos atrás. A prática da gratidão, por exemplo, de acordo com a ciência beneficia o cérebro." Quando estamos felizes nós sorrimos. Quando estamos experienciando emoções positivas, felizes, o cérebro solta uma substância química neurotransmissora e estimuladora do sistema nervoso central chamada dopamina. Esta substância faz o ser humano se sentir bem. Alem disto esta substância ativa os centros de aprendizado dentro do cérebro. Quando estamos sobre a influência desta substância o cérebro performa de uma maneira muito mais produtiva.” (Este artigo, sobre Psicologia Positiva, pode ser encontrado no meu blogwww.milagresdamente.blogspot.com).
Durante este ano escrevi muito sobre gratidão, como viver conscientemente para elevar a mente ao nível do Universo, como reconhecer que todos somos iguais, apesar de cada um ter uma função e meta diferente. Acima de tudo, escrevi sobre o poder interno que temos e como podemos usar esta Força interna para o desenvolvimento espiritual. Escrevi vários artigos sobre o ego e seu poder. Descrevi como a mente pode ser usada para o bem ou não e como pode usar o corpo como instrumento de suas experiências. Uma dos aspectos mais difíceis de se entender e aceitar é o fato de não sermos o que pensamos ser. A maioria das pessoas acreditam ser um produto de suas experiências. Esta identidade falsa criada pelo ser humano não permite a Sua identidade real vir à tona. Precisamos conscientemente aceitar a existência de um Ser perfeito em cada um de nós e fazer todo o possível para deixar esta parte surgir. Para obter este resultado precisamos conscientemente ouvir a Voz interna em vez das vozes de uma mente egóica que sobrevive a custa da divisão interna. Para este fim precisamos criar um espaço, mesmo que por minutos, para sentir internamente a quietude do Ser.
Este fim de ano oferece uma boa oportunidade para fazermos um inventário das nossas ações e como aplicamos estes ensinamentos na vida diária. Quantas vezes por dia pedimos ao ES ou a Força interna para esclarecer um problema, em vez de deixar a mente egóica tomar conta dos problemas? Estamos diariamente agradecendo ao Universo por tudo que recebemos? Estamos sempre prontos a julgar as pessoas sem realmente compreender porque certas coisas acontecem? Lembre-se que Um Curso em Milagres em sua sabedoria ensina que precisamos primeiro aceitar os eventos, para depois entender. Como estamos nos tratando? Com compaixão quando erramos ou com acusações e culpa? Estamos relacionando o passado com a vida que vemos exteriormente? Estamos cientes de que projetamos o que esta escondido na escuridão do passado? Como definimos alegria dentro de nós? Como um sentimento duradouro ou uma busca para uma emoção imediata que desaparece muito depressa porque é baseada na mente egóica? Como vemos os nossos irmãos? Como seres passando por uma experiência humana para o crescimento espiritual ou como uma falha, um ser fraco sem dignidade? Estamos olhando para estes irmãos através da Mente divina sentindo compaixão e Amor pela sua luta ou através da mente egóica cheia de julgamentos e superioridade?
Estas são algumas das perguntas que faço a mim mesma para relembrar quem Sou e me manter acordada. Muitas vezes por dia tenho que corrigir a minha maneira de pensar. A mente egóica esta sempre disposta a julgar qualquer situação muito depressa sem tomar em consideração que existe uma outra maneira de ver este mundo. Quando estamos sobre a influencia do Universo, da Força interna, a vida parece ser bem diferente, onde a paz esta presente, o Amor transforma a mente para criar um bem estar indescritível.
O que leva muitos a buscar e viver dentro da identidade Real é a sensação de paz que sentimos quando estamos dentro do Ser. Cada vez mais rejeitamos o caos criado pelo o ego. As minhas experiências de vida, umas boas, outras de muito sofrimento, não servem de base para uma vida calma e estável. A identidade que criei durante a minha vida oferece uma vida limitada como ser humano. Quero experiênciar o que o Universo tem para me oferecer. Estes são os sentimentos que existem dentro de mim desde de quando a minha alma foi criada pelo Espírito. Esta perfeição já existe dentro de mim. No começo tinha medo de que a minha vida mudasse e mudanças muitas vezes causam medo. Mas com o tempo passando e as experiências do Ser mais constantes, vejo que a minha vida mudou para melhor porque de vez enquanto vejo o mundo através do Universo em vez da mente egóica.
Se tornar uma “seeker” que é o meu caso, significa buscar dentro de mim o Ser que esteve sempre presente a minha disposição para ser reconhecido. Não é um caminho fácil e muitas vezes preciso de coragem e perseverança. Mas quanto mais me aproximo da minha Realidade mais entendo porque preciso continuar a jornada aqui e em eternidade.
Espero que sua jornada possa continuar para sempre e quando se sentir cansado e desanimado para continuar, sente-se a beira da estrada para descansar um pouquinho e com a ajuda do ES levante-se novamente e continue a viagem agradecendo a Deus por esta oportunidade porque a sua mente esta acordando para a Realidade Divina.

14 de dez de 2014


PORQUE O CAMINHO ESPIRITUAL PARECE SER TÃO DIFÍCIL?


Um Curso em Milagres ensina que somos perfeitos. A energia que temos pertence a todo o Universo. Ensina que temos apenas uma mente e se sentimos que somos separados uns dos outros é porque acreditamos na idéia insana que criamos. A ilusão separa, cria a divisão e solidão.
De alguma maneira neste pesadelo que vivemos certas crenças foram criadas durante milênios. Existe em cada um de nós um apego pelo que somos. Alguns aspectos são positivos, outros são bastante negativos. 

Muitos estudantes que estudam o Curso diligentemente, acreditando nos princípios ensinados, muitas vezes não entendem porque ainda acreditam na ilusão e apesar de muitos momentos de claridade, continuam a agir da mesma maneira, ter as mesmas reações quando os problemas surgem na vida diária.

A pergunta neste caso deveria ser.....O que esta impedindo a minha progressão espiritual? Porque, mesmo entendendo o que acontece comigo ainda estou preso ao pesadelo? Porque ainda vejo o meu irmão como um ser imperfeito? O que acontece com a minha mente quando posso sentir a perfeição do Universo, a perfeição do meu irmão, a minha perfeição por alguns minutos e esquecer como me senti dois minutos atrás porque estou tão envolvido na neblina que me rodeia, onde o ataque é a única saída para mim?

Estas são algumas das perguntas que fazemos durante o aprendizado. Gostaria de explorar com vocês as razões deste comportamento, este apego que temos a esta ilusão.

O Curso ensina que há muito tempo atrás, antes da ilusão, sabíamos quem éramos. O conhecimento dessa realidade por algum motivo foi colocada de lado e nos desligamos, (disassociate em inglês, palavra usada em psicologia) que representa uma decisão de esquecer. Só podemos nos desassociar de alguma coisa que sabíamos. “O que foi esquecido parece ser amedrontador porque esta separação, foi um ataque a verdade. Você esta amedrontado porque você esqueceu. Você substituiu o seu conhecimento pela a idéia da ilusão, você esta com medo da dissociação, separação, não do que você se desassociou.(conhecimento) Até no mundo da terapia, quando a dissociação é aceita ela para de assustar, porque as leis da mente sempre prevalecem. “(Hold)

Esta clarificação do Curso é extremamente importante porque neste conflito existe a resistência da mente a mudanças. Existe um sentimento profundo de culpa pelo que fizemos no passado, e medo. Estes sentimentos impedem os esforços feitos para promover a mudança interna.

Para que esta dinâmica se modifique o Curso ensina: “Ofereça ao Espírito Santo (que é a sua parte divina, a sua realidade) o seu desejo, a sua disposição de lembrar, porque Ele retém o conhecimento de Deus e de você por Deus na sua memória, esperando a sua aceitação. Desista com alegria TUDO que possa estar impedindo a sua lembrança, porque Deus esta em sua memória e Sua Voz dirá que você é parte Dele, quando você estiver disposto a lembrar Dele”....... “Se lembrar nada mais é do que restabelecer em sua mente o que já existe.”

O sentimento de culpa das ações do passado é imenso. Quanto mais nos aproximamos da luz, mais agitados as vezes sentimos. Aceitando que existe um sentimento de culpa e entregando à Força do Universo, eventualmente esta decisão vai nos levar a Luz. Este sentimento de culpa, abre um espaço para a confusão criada pela mente egóica, num mundo influenciado pelo estado egóico.

As melhores intenções que temos, os momentos de claridade que sentimos, são apenas momentos. Precisamos de uma mudança radical de pensar para que as boas intenções os momentos lúcidos sejam permanentes.

O Curso diz que podemos mudar em um instante se quisermos. Poucos ouvem este chamado e conseguem esta transformação. A maioria de nós vai se movendo aos poucos. Porém o que descrevi acima é o passo mais importante para o resto do processo poder ser constante.

*Traduzi passagens do Um Curso em Milagres no formato original. Não confundir com a versão publicada por Wapnik. Esta versão foi publicada pelo Course in Miracles Society que preservou o texto no formato original como foi ditado inicialmente. Uma das grandes diferenças é a preservação dos comentários feitos sobre Freud e o uso da psicologia em referência ao Curso.

10 de dez de 2014


A DIFERENÇA ENTRE IR AO FUNDO DO POÇO E DEPRESSÃO
A frase “ir ao fundo do poço” é geralmente usada para definir o encontra da alma com a escuridão. Esta experiência geralmente acontece quando entramos numa crise de identidade. Podemos ter vários encontros com a escuridão durante a vida. Esta viagem “ao fundo do poço” que é também chamada de “The Dark Night of the Soul” em inglês e em português “A Noite Escura da Alma” faz parte do crescimento da alma, com o potencial de transformar a pessoa para sempre. Muitos livros foram escritos sobre este assunto, muitos santos e espiritualistas descreveram as suas experiências durante esta fase e a transformação ocorrida
A escuridão pode ser causada pela perda de alguém ou por uma crise que sacode a fundação, o alicerce que suporta tudo aquilo que pensamos ser. Nestes momentos, a fundação estremece e o que construímos acaba desabando.
Cada um reage de uma maneira diferente durante esta crise. Neste momento de isolamento, nada parece penetrar. A escuridão é densa. Nesta escuridão muitos procuram apoio na terapia, outros tentam controlar a situação para sair da crise.
Geralmente o sentimento de isolamento é profundo, de separação de tudo e de todos. Todos os valores, todas as crenças, todas as idéias de certo e errado, toda a visão do futuro, parecem desaparecer dentro da escuridão.
Neste momento podemos fazer duas coisas: tentar controlar a situação que geralmente o ego prefere ou acreditar que existe uma Força acima de tudo, que pode estender a mão para ajudar a sairmos do fundo do poço. Neste momento temos que reformular todas as nossas crenças no que imaginamos ser real.
Uma vigem a escuridão obriga uma confrontação com o passado, com atitudes, fé, moralidade, generosidade, todos aqueles atributos que geralmente nos agarramos para criar uma identidade. Para que isso aconteça necessitamos de muita humildade, muita aceitação, porque a subida à luz requer esta transformação.
Como Barbara Brown Taylor menciona em seu livro “Learning to Walk in the Dark”, existe uma diferença entre depressão e a escuridão da alma. “depressão clinica não deve ser confundida com a escuridão da noite. Talvez os dois possam “overlap” isto é, podem ter similaridades. Porém depressão pode destruir a pessoa internamente, enquanto a escuridão da noite transforma a pessoa.
A transformação é proveniente da flexibilidade encontrada na fé, onde a pessoa esta aberta para esta transformação, compreende que tudo que esta sentindo faz parte de uma maneira errônea de pensar, esta disposto a ir além da identidade criada, acredita que a Força que esta lhe dando a mão para subir à luz pode lhe levar a um espaço nunca habitado pela alma anteriormente.
Um Curso em Milagres ensina que tudo que precisamos fazer para um crescimento espiritual é estar disposto a mudar. Nesse momento de crise, para uma mudança ocorrer precisamos estar dispostos a estender a mão para esta Força invisível, usando a fé abstrata para construir uma fundação solida para caminhar neste mundo.

O ROMANCE DIVINO

Ontem lendo o livro "O Romance com Deus,” escrito por Paramahansa Yogananda, baseado em suas palestras, (existe ai no Brasil em português) mais uma vez fui relembrada da importância de ter sempre Deus dentro de mim. Para muitos Deus é uma força fora de si no universo, para outros uma imagem semelhante a do homem e outros uma força tão abstrata que se torna impossível se relacionar. Para muitos, esta força não só é distante mas muito importante para se preocupar com as nossas necessidades. Alcançar esta força através de preces talvez seja a única maneira de comunicação. Muitos acreditam que Deus esta por perto mas não o tempo todo.
Eu mesma passei por muitos destes estágios. Porém através dos anos, desenvolvendo uma fé consciente com ajuda do Um Curso em Milagres e ensinamentos como os de Yogananda, aos poucos vou interiorizando a força Divina. Primeiramente falo com Deus mais e mais como se fosse um amigo, aceito que Deus é energia, a “cola” que une tudo e todos. Energia que pode ser sentida quando meditamos ou estamos em estado de quietude em comunhão com a alma e Espírito. Treino a minha mente a aceitar que em todos os momentos estou dentro desta energia refletindo a Sua força. Deus esta sempre presente porque sendo energia, esta em todos os lugares a todos os momentos. Temos apenas que entrar na vibração, onde podemos sentir a sua Presença.
Como seres humanos, estamos sempre entre alta e baixa vibração.Uma frequência mais baixa pode ser sentida imediatamente por ser tão diferente e instigar um desejo de voltar a frequência mais alta conscientemente.

26 de nov de 2014


QUEM SOU EU?
Como disse algumas vezes, uma das perguntas mais importantes durante a jornada da alma é: “ Quem sou eu?”
Geralmente quando esta pergunta é feita a pessoa descreve as suas experiências., seu nome, etc. Porém dentro de todas estas experiências, dentro de cada um sempre existiu alguém que continuamente observou todas estas experiências.
Quem observa estas experiências? Quando dormimos e sonhamos, quem observa os sonhos? Estas são as perguntas que pelo menos no meu caso nunca pensei fazer porque simplesmente nunca pensei em me separar das experiências da vida.
Porém se levo a minha mente ao passado, reconheço os mesmos sentimentos dentro de mim que tenho até hoje. Não quando estava agitada ou nervosa mas quando estava quieta. Tenho uma recordação muito clara de estar sentada num banco nos jardins do meu edifício em Botafogo, esperando meu pai descer para pedir dinheiro para comprar um gibi e uma bala e me sentindo da mesma maneira que muitas vezes, especialmente hoje em dia sinto. Quem estava naquele momento observando dentro de mim quando tinha nove anos de idade?
Muitas vezes me perguntei porque me lembrava tão bem daquele momento e não de outros. Escrevendo este artigo eu entendi a razão. Porque assim posso explicar o que senti e o que sinto. Posso entender o que se passa dentro de mim. Muitas vezes escuto pessoas mais velhas dizerem que internamente eles não se sentem envelhecidas. Acredito que a razão deste sentimentos seja causado pelo o encontro da pessoa com o seu Ser de vez em quando, que é imutável.
Este processo de descoberta, de conscientização do Ser deveria sempre ser orgânico. Infelizmente crescimento no mundo egoico é geralmente através de dores e muitas vezes uma viagem ao fundo do poço. Muitos, como no meu caso, levam tempo para entender que não somos apenas seres para serem estudados cientificamente, mas seres de energia ligados a uma Força que nos pertence se prestarmos atenção ao que se passa internamente. Que existe um Ser que esta sempre observando as experiências que escolhemos. Como o desenvolvimento da humanidade esta acelerando no momento, estas perguntas estão sendo feitas com muita freqüência.
Levei muito tempo para compreender que existe um centro de consciência dentro de mim que nunca se modificou durante todos estes anos que tenho passado neste planeta. As emoções, os pensamentos, a atração pelas coisas externas são observadas por esta Força.
Como seres humanos somos capazes de sentir emoções poderosas, ser atraídos pelo o mundo externo, ter pensamentos influenciados pelos sentidos. Porém se eliminássemos as coisas externas, as emoções e através da meditação profunda eliminássemos os pensamentos ainda resta uma pergunta, quem somos nós?
As primeiras vinte lições do Um Curso em Milagres ensinam o estudante a como se separar da influencia dos objetos externos, das emoções, ensinando que existe uma outra maneira de ver o mundo. O Curso chama este processo, ver a realidade.
Quando alcançamos um estado mais desenvolvido de espiritualidade podemos notar que as emoções, se permitirmos chegam e vão embora mas alguma coisa dentro de nós permanece.
Quando eventualmente conseguimos viver no que se chama, “the seat of the Soul”, traduzido mais ou menos, “o assento da Alma” que é onde o Ser reside, podemos olhar o mundo real. Este é o mundo onde os Avatars vivem, onde santos vivem, onde Jesus vive. Esta maneira de sentir se encontra em filosofias como Budismo e Hinduísmo.
Estando ciente que existe uma parte interna que vai além do ego, tem que trazer paz. Só saber que não somos as vozes na cabeça, as emoções que as vezes perdem o controle, ou escravos dos sentidos ou coisas externas tem que causar um alívio imenso. Estando consciente deste estado latente pode ser uma grande ajuda, porque podemos aos poucos notar quando somos transportados pela emoção e quando a Voz que existe em cada um esta observando e se permitirmos, falando se perguntarmos. Esse é o que Um Curso em Milagres chama Espírito Santo.

10 de set de 2014

OS TRÊS ESTÁGIOS DE DESENVOLVIMENTO ESPIRITUAL (baseado no capt.6 do Um Curso em Milagres e minhas experiências)


Quando a mente ainda esta dormindo, isto é, ainda não esta consciente de que existe uma outra maneira de pensar ela aceita viver na ilusão, manipulada pelo ego. Neste caso o ego representa as experiências passadas.  A mente faz o corpo a sua morada e os pensamentos que parecem reais são repetitivos e constantes.

 Sem muitas perguntas aceitamos desde cedo que o passado nos orienta, que o futuro é sempre associado com incertezas e medo. Aceitamos que as experiências neste mundo refletem a realidade. Aceitamos culpa e o pecado como parte desta vida.
Essa maneira de pensar aceita que a pessoa é por natureza fraca e vítima das circunstâncias da vida. Enfim, temos que sofrer porque sofrimento faz parte do show da vida.

Um Curso em Milagres ensina o oposto. O Curso oferece uma maneira de descer da cruz onde decidimos nos crucificar para finalmente alcançar a auto-realização.   Oferece a chave para abrir a porta porém a decisão de abrir esta porta é nossa.  Isto não quer dizer que não cresceremos espiritualmente se decidirmos não fazer nada.  O crescimento é inexorável, independente das ações que tomamos.  O problema é que o sofrimento e o tempo deste crescimento será prolongado e muito mais doloroso do que precisa ser.
Quando conscientemente decidimos viver conscientemente, de acordo com Um Curso em Milagres, passamos por três estágios: o primeiro estágio aceita a possibilidade de que somos Espíritos de muita luz capazes de modificar a trajetória que escolhemos.  Certamente não temos controle sobre o comportamento de outras pessoas mas temos controle sobre as nossas reações aos outros.  Aceitamos que  existe uma força superior que pode nos ajudar a sair do buraco em que nos metemos.  Apenas precisamos pedir a esta parte divina que nos ajude.  O livre arbítrio exige a nossa cooperação para entrar em ação.

A primeira lição a aprender é: “Para ter, dá tudo a todos.” “Este é um passo preliminar e o único que tens que dar por conta própria. Não é necessário que completes esse passo por ti mesmo, mas é necessário que te voltes nesta direção”

Uma vez a decisão de aceitar que existe apenas uma mente, que somos todos UM e demonstramos vontade de prosseguir nesse caminho de uma maneira consciente o ES está pronto para percorrer junto.  Nessa fase existe conflito interno porque é um pensamento ainda muito novo para a mente.  A percepção tem que começar a reverter e pode causar conflito por muito tempo de acordo com o Curso.  Muitos permanecem nesse estado por um longo tempo.  Isto é, cientes que existe uma outra maneira de ser mais ainda presos a mente egóica. Ainda presos ao pensamento de separação, ao ataque e a rejeição que é inerente do ego, mesmo sabendo que existe uma outra maneira de sentir. Nessa fase ainda se dúvida do próximo e a idéia de dar tudo que tem para receber ainda não é bem entendida. Nesse estágio o ego não consegue aceitar que dar e receber. Não estamos falando de bens materiais mas de sentimentos inerentes da alma. Geralmente a reação de suspeita de outros egos é ainda muito forte porque sua mente não é consistente e acredita que outras mentes operam da mesma maneira. Muitos aceitam o conflito interno como parte do processo, porém é preciso entender que este conflito não deve ser permanente.

Segundo estágio:”Para ter paz, ensina paz para aprendê-la.”

Neste estágio temos uma idéia muito clara que precisamos fazer uma escolha entre os dois tipos de sistema de pensamento. Para sair do conflito e ter paz interna eventualmente precisamos escolher o que é importante.

Nesse estágio o estudante precisa entender que ficando indeciso ele esta enfraquecendo o tipo de sistema de pensamento que ele tende a não usar.  Ele se aproxima daquele sistema que ele acredita.  A um certo ponto ele começa a projetar os dois.

“A saída do conflito entre dois sistemas de pensamento que se opõem está claramente em escolher um e abandonar o outro. Se tu te identificas com o teu sistema de pensamento e não podes escapar disso e se aceitas dois sistemas de pensamento que estão em completo desacordo, é impossível ter a mente em paz.”

“O ego tenta persuadir de que depende de ti decidir qual é a Voz verdadeira, mas o ES te ensina que a verdade foi criada por Deus e a tua decisão não pode mudá-la. À medida em que começas a reconhecer o sereno poder da Voz do ES e Sua perfeita consistência, com certeza despontará na tua mente que tu estás tentando desfazer uma decisão que foi irrevogavelmente tomada para ti. É por isso que eu sugeri antes que te lembres de permitir que o ES decida a favor de Deus por ti.”

O que o Curso ensina é que não estamos sozinhos nesta luta entre o ego e a parte fundamental de luz que temos, o Ser.  Se entregarmos esta luta nas mãos do ES, esta parte quieta que existe internamente nos guiará para a Luz.  Se praticarmos ouvir esta Voz ela se torna mais e mais clara internamente. 

Porém a um certo ponto iremos decidir o que é realmente importante neste caminho que percorremos.  “O segundo passo é uma afirmação positiva do que queres,  Esse é, portanto, um passo em direção à saída do conflito, já que significa que as alternativas foram consideradas e uma foi escolhida como desejável.”Neste estágio ainda estamos escolhendo.

O terceiro estágio diz. “Sê vigilante só a favor de Deus e do Reino”

“Esse é um passo da maior importância em direção à mudança fundamental.
Nesse estágio a escolha foi feita.  A primeira é a aceitação da mudança, “a segunda é a identificação do que é mais desejável.”Esses dois estágios trazem conflito porque podemos estar vigilantes a favor do ego ou a favor do Espírito.

Finalmente reconhecemos que não precisamos ficar vigilantes.  A verdade existe dentro de nós.  O ES aos poucos vai nos levando ao final da viagem.

Na vida prática o que geralmente acontece é a realização de que existem dois mundos.  Aos poucos vamos separando a Verdade da ilusão.  Os maus hábitos começam a nos incomodar.  Podemos diferenciar entre o ato do ego e a extensão do coração.  A frustração aumenta quando dizemos alguma coisa que sai pela boca por força do hábito e imediatamente podemos ver que o que dissemos pertence aos pensamentos aprendidos durante uma vida inteira.  Que muitas vezes repetimos como papagaios as idéias de julgamento, mentiras, discriminação, falta de caridade, que aprendemos no passado.  Mas sabemos que estes pensamentos não representam a verdade para nós.  Este era o passado.  Nesse ponto precisamos pedir ao ES para nos mostrar o caminho certo.  Este é o conflito interno.  Pode durar muito tempo mas aos pouquinho vai se modificando.

Eventualmente chegamos a um ponto que estamos cansados e pedimos ao ES, ao universo que nos ajude.  Esta é a hora que seriamente começamos a contemplar que tipo de vida queremos viver.  Uma parte ainda gosta das coisas oferecidas pela ilusão mas uma parte muito forte lhe diz que existe uma outra que o levará diretamente em contato com Deus.  Nesse mundo a paz e alegria estão lhe esperando e a atração fica mais e mais forte.  A luz começa a ser vista e a tendência é de seguir a luz.  Isto não quer dizer que deixamos os laços de amor que temos com os familiares, amigos e as coisas positivas da vida desaparecerem.  Não, nesta fase m tudo que acontece é através de um profundo Amor, uma grade tolerância das falhas humanas.  A alegria, o poder de recuperação de uma ação do ego é muito mais rápida. 

Como seres humanos vamos sempre projetar, a diferença é que tipo de projeção usamos.  Projetar através do ego é sempre através das dores do passado, projetar através do Ser e estender Amor. 
Boa sorte.

10 de ago de 2014

JULGAMENTO




Um Curso em Milagres ensina que a interpretação da mente baseada nas experiências passadas esta de cabeça para baixo.  A maneira que este mundo é visto não reflete a Verdade que existe em cada um.  Individualmente e coletivamente vemos um mundo deturpado.  Se elevássemos a mente ao nível do Universo, considerando que cada pessoa tem um outro lado intocável pelo ego, o resultado desta maneira de pensar transformaria o mundo.

Não é ignorar o que se passa neste mundo dominado pelo ego, as guerras, as atrocidades, mas se elevarmos o pensamento acima desta ilusão criada pelo ego, podemos ver o potencial da Verdade.  Cabe a cada um de nós transformar este mundo, se recusando a aceitar de que o que vemos, especialmente no momento, é tudo que existe.
Como por exemplo:”O julgamento, como outros instrumentos através dos quais se mantém o mundo das ilusões, é compreendido de forma totalmente equivocada pelo mundo.  De fato, é confundido com sabedoria e substitui a verdade.  Da forma como o mundo usa o termo, um indivíduo é capaz de fazer “bom” ou “mau” julgamento e a sua educação tem como objetivo fortalecer o primeiro e minimizar o último......o que é “bom julgamento para um, e “mau” para outro. Além disso, até a mesma pessoa classifica a mesma ação como sendo demonstrativa de “bom” julgamento em um dado momento e “mau” julgamento em outro.”

Neste área o Curso é extremamente claro nos seus ensinamentos.  A pessoa não pode julgar porque a culpa não existe.  Este é um exemplo claro do sistema de pensamento que o Um Curso em Milagres oferece.  Todos os sentimentos e julgamentos são baseados na culpa.  Se a culpa não existe, ela não pode ser considerada válida.  Depende de como vemos o que realmente é real.  No mundo egóico a culpa existe porque o pecado e inerente do ser humano.  Se virmos este mundo parte da eternidade, uma reflexão do Universo, o Espírito eterno é perfeito.

A única maneira de evoluir espiritualmente é começar a mudar o sistema egóico de pensar.  Para que este caminho seja mais fácil, precisamos dizer ao Universo que estamos dispostos a aprender a maneira correta de pensar e pedir a sua força interna, ou qualquer entidade que acredite, que lhe ajude a ver este mundo de uma maneira diferente.

E lembre-se “O objetivo do nosso currículo, não como a meta do aprendizado do mundo, é o reconhecimento de que o julgamento, no sentido usual, é impossível.  Isso não  é uma opinião, mas um fato.  De modo a julgar qualquer coisa acertadamente, a pessoa teria que estar inteiramente ciente de uma escala inconcebível de coisas passadas, presentes e por vir.  A pessoa teria que reconhecer antecipadamente todos os efeitos de seus julgamentos sobre todas as outras pessoas e coisas  neles envolvidas de alguma forma.  E a pessoa teria que estar certa de que não há nenhuma distorção na sua percepção, de modo que o seu julgamento seja totalmente justo em relação a todos aqueles sobre os quais recai agora e no futuro. Quem está em posição de fazer isso?”

Por esta razão seria muito útil estar ciente da impossibilidade de julgar.  Não é fácil porque estamos tão acostumados a julgar.  Porém a única coisa pedida nestes ensinamentos é que esteja ciente do que esta fazendo e pedir ao Universo que lhe mostre uma outra maneira de pensar.