2 de fev de 2012

FELICIDADE EM DUAS PARTES


Não existe nada mais importante para os seres humanos do que encontrar felicidade.

O problema eh que não entendemos como fazer para alcançar este estado de paz interna.  Cada um pensa que tem uma idéia de como fazer, porem em realidade a maioria não sabe.  Uma grande mudança nestes últimos anos, especialmente entre as gerações mais jovens, eh a conscientização  que este sentimento não vem de coisas externas.  Eh um estado mental obtido internamente. (leia os meus artigos sobre psicologia no meu blog Milagres da Mente).

Podemos obter  felicidade, sem duvidas.  Mas precisamos ajudar este processo a se tornar uma realidade, alem de desejar que as coisas mudem magicamente.
As lições no Um Curso em Milagres, 101, 102, 103, discutem o que felicidade eh, e como se obter. 

O ego, como sabemos eh formado pela nossa mente, baseado nas experiências passadas.  Nesta parte da nossa mente existe um grande drama ocorrendo sem estarmos na maioria das vezes cientes do que esta acontecendo.
Pensamos ser pecadores e precisamos expiar estes pecados.  Quando pensamos que o pecado e real, nos precisamos pagar por ele.  Para a maioria das pessoas o pecado e real e requer sofrimento.

Pensando desta maneira não eh difícil entender porque as pessoas estão sempre se sentido infelizes.

Para aqueles que estão mais acordados, em principio eles sabem que esta maneira de pensar eh errada, porem ainda não sabem como colocar este conhecimento em ação, colocar em pratica estes princípios. Muitas vezes, porque ainda estão lidando com um ego muito forte que resiste mudanças.
Para aqueles que estudam o Curso, o treinamento da mente torna estes obstáculos mais fáceis de contornar. 

O que aprendemos no Curso eh que fazemos parte de um plano.  Todos nos.  Somos espíritos perfeitos.  Estamos vivendo em uma comunidade.  Sempre protegidos.  O sentimento de que somos órfãos neste mundo aos poucos vai desaparecendo.  Sentimos que, mesmo por momentos, que uma forca infinita esta tomando conta de nos.  Isto acontece, porque estamos praticando as lições e a nossa mente esta mudando, começando a pensar de uma maneira diferente, isolando aos poucos o ego que quer nos prender ao passado.  Mas como digo sempre, o Curso nao e o único caminho espiritual, outras filosofias como Budismo, etc. nos levam aos mesmos resultados.

Eh muito fácil querer permanecer neste passado, pois nos da uma identidade.  Eh familiar, sabemos que podemos sempre contar com as emoções que temos carregado durante a maior parte do tempo.

Podemos querer, dizer, usar afirmações positivas, mas ate o momento que decidimos mudar a maneira errada de pensar, continuaremos a ir ao passado, inconscientemente ou não, para obter as nossas experiências no presente.

Lição 101 diz “A Vontade de Deus para mim eh a felicidade perfeita.”  
Se isto e verdade porque temos tantos problemas em realizar a Sua Vontade?  Se lembra do livre arbítrio?   Mais abaixo a lição diz: Tu ainda acreditas que a salvação pede sofrimento como penitencia pelos teus “pecados”
A lição 102 diz: “Eu compartilho com a Vontade de Deus de felicidade para mim”  A simples pergunta que devemos fazer e a seguinte:  Se Deus quer a minha felicidade, porque a minha mente luta o tempo todo para fazer o oposto?
Porque como disse acima, nos de uma maneira muito triste fazemos tudo para permanecer infelizes.  Afirma que somos culpados e que precisamos pagar pelos “pecados que pensamos ter cometido” 

Afirmações como “Eu compartilho a Vontade de Deus de felicidade para mim, e aceito como minha função agora”  e uma das maneiras de treinar a mente a aceitar uma maneira nova de pensa.

Outra maneira, eh pensar que na comunidade do universo, como espíritos nos somos felizes.  Afirmar que a felicidade esta dentro de si, apenas tem que dar uma chance para vir a tona.  Pensar constantemente, em tudo que faz na vida, que existe uma parte de si que e fantástica esperando para lhe guiar, dar conselhos e lhe mostras que o passado não existe mais.  Que existe uma saída para os seus problemas.

Acreditar dentro de si que não existe pecado, apenas erros neste tempo e espaço, que não requerem punição, mas compaixão e amor.

Então, em vez de sonhar com esta possibilidade, seja ativa, participe com o universo na sua recuperação.  O caminho espiritual e composto de uma serie de ações conscientes, para dissolver o inconsciente, amenizar a separação.
Então, o primeiro passo e pensar que você nunca esta sozinha.  Existe uma comunidade de espíritos lhe protegendo.  Que você eh espírito e participa desta comunidade a todos os momentos.  Chame esta parte sua interna, para lhe ajudar a todos os momentos do seu dia e quando vai dormir.

Como o Curso diz “a nossa única função aqui eh felicidade.”

Esta eh a primeira parte, uma combinação de espiritualidade/psicologia.

A segunda parte eh totalmente psicológica.

Aqui vou sugerir que leiam a minha entrevista com Michelle Gielan sobre Psicologia Positiva no meu blog Milagres da Mente para entender e praticar o que ela recomenda para manter internamente uma emoção positiva para encontrar felicidade.

Estes dois componentes, o espiritual e psicológico sendo usados, transformam a sua idéia abstrata de felicidade, do desejo de um dia ser feliz, para a realidade de encontrar felicidade agora.

Desejo a vocês todos um mundo real de felicidade.

2 comentários:

José Eduardo Glaeser disse...

Esse texto de Abdruschin (Metafisico alemao, 1875 - 1941 vai ao encontro do que voce postou)
"Repugnantes são as pessoas que voluntariamente se impõem dores físicas e privações, para assim se tornarem agradáveis a Deus! Todas elas jamais alcançarão o reino do céu!
Ao invés de se alegrarem com a bela Criação, como agradecimento pela sua existência, martirizam e torturam da maneira mais criminosa o corpo anteriormente muitas vezes sadio, ou prejudicam-no com uma carga intencional de múltiplas privações, renúncias, somente… para nisso parecerem grandes diante dos seres humanos ou perante si mesmas, para satisfação própria e enaltecimento próprio, na ilusória consciência de uma ação toda especial.
Tudo isso é, sim, apenas a má e repugnante excrescência de uma grande presunção da mais baixa espécie! A vontade de sobressair a todo custo! Trata-se aí, quase sempre, de pessoas que estão convencidas de que de outro modo jamais conseguiriam se pôr em evidência. Que, portanto, intuem exatamente que são incapazes de realizar algo de grande e, com isso, sobressaírem. São as convictas de sua própria pequenez.
Enganando-se a si próprias, imaginam como humildade a convicção de sua pequenez! Mas não o é, pois logo comprovam isso pelo desejo de se evidenciar. Só a presunção e a vaidade é que as impulsionam para coisas tão repugnantes. Não são devotas ou humildes servas de Deus, não se deve considerá-las como santas, mas sim apenas como pecadoras petulantes! Como tais, que ainda esperam admiração por seus pecados e recompensa por sua preguiça de trabalhar!"...

Leia o resto aqui:
http://acasasobrearocha.wordpress.com/2012/02/04/abdruschin-martires-voluntarios-fanaticos-religiosos/

E depois leia no Curso no Capitulo 10, subtitulo V e veja como provem da mesma Fonte.

SHALOM!

Barbara Gielan disse...

Muito bom Eduardo, muito obrigada por ter comentado. Continue dando as suas opiniões que eu compartilharei no meu blog. Obrigada.