10 de set de 2014

OS TRÊS ESTÁGIOS DE DESENVOLVIMENTO ESPIRITUAL (baseado no capt.6 do Um Curso em Milagres e minhas experiências)


Quando a mente ainda esta dormindo, isto é, ainda não esta consciente de que existe uma outra maneira de pensar ela aceita viver na ilusão, manipulada pelo ego. Neste caso o ego representa as experiências passadas.  A mente faz o corpo a sua morada e os pensamentos que parecem reais são repetitivos e constantes.

 Sem muitas perguntas aceitamos desde cedo que o passado nos orienta, que o futuro é sempre associado com incertezas e medo. Aceitamos que as experiências neste mundo refletem a realidade. Aceitamos culpa e o pecado como parte desta vida.
Essa maneira de pensar aceita que a pessoa é por natureza fraca e vítima das circunstâncias da vida. Enfim, temos que sofrer porque sofrimento faz parte do show da vida.

Um Curso em Milagres ensina o oposto. O Curso oferece uma maneira de descer da cruz onde decidimos nos crucificar para finalmente alcançar a auto-realização.   Oferece a chave para abrir a porta porém a decisão de abrir esta porta é nossa.  Isto não quer dizer que não cresceremos espiritualmente se decidirmos não fazer nada.  O crescimento é inexorável, independente das ações que tomamos.  O problema é que o sofrimento e o tempo deste crescimento será prolongado e muito mais doloroso do que precisa ser.
Quando conscientemente decidimos viver conscientemente, de acordo com Um Curso em Milagres, passamos por três estágios: o primeiro estágio aceita a possibilidade de que somos Espíritos de muita luz capazes de modificar a trajetória que escolhemos.  Certamente não temos controle sobre o comportamento de outras pessoas mas temos controle sobre as nossas reações aos outros.  Aceitamos que  existe uma força superior que pode nos ajudar a sair do buraco em que nos metemos.  Apenas precisamos pedir a esta parte divina que nos ajude.  O livre arbítrio exige a nossa cooperação para entrar em ação.

A primeira lição a aprender é: “Para ter, dá tudo a todos.” “Este é um passo preliminar e o único que tens que dar por conta própria. Não é necessário que completes esse passo por ti mesmo, mas é necessário que te voltes nesta direção”

Uma vez a decisão de aceitar que existe apenas uma mente, que somos todos UM e demonstramos vontade de prosseguir nesse caminho de uma maneira consciente o ES está pronto para percorrer junto.  Nessa fase existe conflito interno porque é um pensamento ainda muito novo para a mente.  A percepção tem que começar a reverter e pode causar conflito por muito tempo de acordo com o Curso.  Muitos permanecem nesse estado por um longo tempo.  Isto é, cientes que existe uma outra maneira de ser mais ainda presos a mente egóica. Ainda presos ao pensamento de separação, ao ataque e a rejeição que é inerente do ego, mesmo sabendo que existe uma outra maneira de sentir. Nessa fase ainda se dúvida do próximo e a idéia de dar tudo que tem para receber ainda não é bem entendida. Nesse estágio o ego não consegue aceitar que dar e receber. Não estamos falando de bens materiais mas de sentimentos inerentes da alma. Geralmente a reação de suspeita de outros egos é ainda muito forte porque sua mente não é consistente e acredita que outras mentes operam da mesma maneira. Muitos aceitam o conflito interno como parte do processo, porém é preciso entender que este conflito não deve ser permanente.

Segundo estágio:”Para ter paz, ensina paz para aprendê-la.”

Neste estágio temos uma idéia muito clara que precisamos fazer uma escolha entre os dois tipos de sistema de pensamento. Para sair do conflito e ter paz interna eventualmente precisamos escolher o que é importante.

Nesse estágio o estudante precisa entender que ficando indeciso ele esta enfraquecendo o tipo de sistema de pensamento que ele tende a não usar.  Ele se aproxima daquele sistema que ele acredita.  A um certo ponto ele começa a projetar os dois.

“A saída do conflito entre dois sistemas de pensamento que se opõem está claramente em escolher um e abandonar o outro. Se tu te identificas com o teu sistema de pensamento e não podes escapar disso e se aceitas dois sistemas de pensamento que estão em completo desacordo, é impossível ter a mente em paz.”

“O ego tenta persuadir de que depende de ti decidir qual é a Voz verdadeira, mas o ES te ensina que a verdade foi criada por Deus e a tua decisão não pode mudá-la. À medida em que começas a reconhecer o sereno poder da Voz do ES e Sua perfeita consistência, com certeza despontará na tua mente que tu estás tentando desfazer uma decisão que foi irrevogavelmente tomada para ti. É por isso que eu sugeri antes que te lembres de permitir que o ES decida a favor de Deus por ti.”

O que o Curso ensina é que não estamos sozinhos nesta luta entre o ego e a parte fundamental de luz que temos, o Ser.  Se entregarmos esta luta nas mãos do ES, esta parte quieta que existe internamente nos guiará para a Luz.  Se praticarmos ouvir esta Voz ela se torna mais e mais clara internamente. 

Porém a um certo ponto iremos decidir o que é realmente importante neste caminho que percorremos.  “O segundo passo é uma afirmação positiva do que queres,  Esse é, portanto, um passo em direção à saída do conflito, já que significa que as alternativas foram consideradas e uma foi escolhida como desejável.”Neste estágio ainda estamos escolhendo.

O terceiro estágio diz. “Sê vigilante só a favor de Deus e do Reino”

“Esse é um passo da maior importância em direção à mudança fundamental.
Nesse estágio a escolha foi feita.  A primeira é a aceitação da mudança, “a segunda é a identificação do que é mais desejável.”Esses dois estágios trazem conflito porque podemos estar vigilantes a favor do ego ou a favor do Espírito.

Finalmente reconhecemos que não precisamos ficar vigilantes.  A verdade existe dentro de nós.  O ES aos poucos vai nos levando ao final da viagem.

Na vida prática o que geralmente acontece é a realização de que existem dois mundos.  Aos poucos vamos separando a Verdade da ilusão.  Os maus hábitos começam a nos incomodar.  Podemos diferenciar entre o ato do ego e a extensão do coração.  A frustração aumenta quando dizemos alguma coisa que sai pela boca por força do hábito e imediatamente podemos ver que o que dissemos pertence aos pensamentos aprendidos durante uma vida inteira.  Que muitas vezes repetimos como papagaios as idéias de julgamento, mentiras, discriminação, falta de caridade, que aprendemos no passado.  Mas sabemos que estes pensamentos não representam a verdade para nós.  Este era o passado.  Nesse ponto precisamos pedir ao ES para nos mostrar o caminho certo.  Este é o conflito interno.  Pode durar muito tempo mas aos pouquinho vai se modificando.

Eventualmente chegamos a um ponto que estamos cansados e pedimos ao ES, ao universo que nos ajude.  Esta é a hora que seriamente começamos a contemplar que tipo de vida queremos viver.  Uma parte ainda gosta das coisas oferecidas pela ilusão mas uma parte muito forte lhe diz que existe uma outra que o levará diretamente em contato com Deus.  Nesse mundo a paz e alegria estão lhe esperando e a atração fica mais e mais forte.  A luz começa a ser vista e a tendência é de seguir a luz.  Isto não quer dizer que deixamos os laços de amor que temos com os familiares, amigos e as coisas positivas da vida desaparecerem.  Não, nesta fase m tudo que acontece é através de um profundo Amor, uma grade tolerância das falhas humanas.  A alegria, o poder de recuperação de uma ação do ego é muito mais rápida. 

Como seres humanos vamos sempre projetar, a diferença é que tipo de projeção usamos.  Projetar através do ego é sempre através das dores do passado, projetar através do Ser e estender Amor. 
Boa sorte.