12 de jan de 2012

PRINCIPIOS

A percepção e sempre formada em resposta a uma experiência passada.  A experiência sempre e formada pela mente e depois eventualmente projetada no tempo e espaço.

Estas experiências se tornam a base do passado, presente e futuro.  Através da percepção nos criamos o mundo que vemos.  Este mundo e a nossa realidade e o corpo representa quem somos.

O Curso ensina que  esta maneira de pensar e falsa.   Somos Espíritos ligados a energia universal.   O mundo baseado no tempo e espaço não afeta o Espírito que vive em eternidade.

Do momento que aceitamos conscientemente a possibilidade de sermos Espiritos,  abrimos um novo caminho para percorrer.  Porque?  Primeiramente, porque aceitamos que existe a esperança de uma mudança.  Para muitos, principalmente para aqueles que vem tentando mudar as suas vidas sem sucesso, de repente, existe uma outra possibilidade de vida.

Daquele momento em diante,  a mente se abre para as experiências do Espírito com uma forca imediata.  O bloqueio, a resistência usada pelo o ego começa a perder a sua influencia.  

Posso falar por experiência propria, pois foi isto que aconteceu comigo.  Uma vez que a pessoa se abre para aceitar os ensinamentos e praticar as lições, o universo conspira para o seu sucesso. Em realidade o universo sempre esteve esperando para lhe ajudar.  Mas a forca esta dentro de si, esperando o seu chamado.  Nada e fora de você, nada e fora da sua mente.  Tudo e criado internamente.  

O que me leva a falar sobre outro conceito, o pensamento.

A mente e aquela parte que pensamos com o universo.  Vem do Espírito.  Vem em forma de intuição, durante a meditação, vem em orações, quando estamos quietos e muitas vezes quando estamos em estado de desespero.  Estas experiências, vem da mente que pensamos com Deus.

A outra maneira de pensar parece vir do cérebro. Da cabeça.   Este de acordo com o Curso são os “pensamentos que pensamos pensar.”  Estes pensamentos vem do nível do ego. Os pensamentos do tempo e espaço.  Os pensamentos repetitivos, as conversas que temos dentro da nossa cabeça.  Geralmente estamos remoendo o passado, procurando soluções para os problemas que queremos resolver.

A mente que pensa com o Espírito e calma, aceitando que o mundo apesar de ter sido complicado pelo ego ainda pode trazer paz e harmonia se permitimos a transformação se tornar uma realidade.  Neste nível, a criatividade, o amor, a compreensão, a cooperação, a bondade, a esperança no que e bom, a união, são chamados a tona.  Neste mundo, olhamos para tudo ao nosso redor e vemos a harmonia que existe.  Olhamos para o ser humano e vemos um ponto de luz, parte de tudo que nos rodeia. 

Estes momentos, mesmo que sejam breves, podem lhe levar a onde a divindade  existe.  Neste momento entendemos que o universo e sua forca são infinitos.  Quando o estudante espiritual aceita que ele e o autor de sua estória, que ele e um ser ilimitado em comando de seus pensamentos, criador do seu destino, em conjunção como a vontade divina um grande passo foi tomado. 

Aceitando que todos os seres humanos são criadores do seus destinos, se torna muito mais difícil querer culpar os outros pelos problemas. 

Se somos Espíritos, somos invulneráveis, somos perfeitos.  Uma grande parte da culpa que sentimos e por nos sentir mal do que pensamos ter feito errado.  Mas se colocamos em termos eternos e de perfeição, nos não somos culpados. Não existe culpa, apenas erros que podem ser corrigidos. Começamos a reconhecer que todos estes sentimentos de culpa, ataque, defesa, tempo, espaço e uma grande piada cósmica.  Mas chegou a hora de encararmos o nosso poder com seriedade.

Não podemos fazer isto sem encarar o medo que todos os seres humanos sentem.

O medo apenas existe no mundo egoico.  O medo e o ingrediente principal usado para mover o mundo que criamos.  Sem duvida.  E o sentimento mais pernicioso que existe na face da terra.

Sem o medo, o ego não pode sobreviver.  O medo se infiltra em todas as camadas da  vida terrena.  O problema e que nunca paramos para avaliar todas as áreas da vida onde o medo esta presente como uma emoção predominante.  Parece que temos vários problemas, mas no fim existe apenas  um, o da separação do universo, quando começamos a identificar com o corpo. A identificação com o corpo produz o medo. 

O medo vem da crença que o mundo e exatamente como vemos.  Nada pode ser mais errado, mas acreditamos ser verdade.

Alem disto, se pensamos que somos corpos, nos pensamos na morte como final.  Claro que vamos ter medo da morte.  Se pensarmos bem, a morte para a maioria de nos e separação dos entes queridos, e o desaparecimento da nossa identidade, e o fim.  No entanto se pensarmos como Espíritos, estamos apenas passando de uma fase para outra.  O medo da morte esta sempre em algum lugar dentro de nos.  Um daqueles assuntos que não queremos pensar por dar tanto medo.

Finalmente vamos falar do amor.  Ah.......este amor que parece ser tão elusivo, criando  tantas emoções............


O amor e o unico sentimento inerente do ser humano. Desbloqueando todos os problemas criados pelo ego, encontramos o amor.  


"Amor e o desejo de que todos os seres humanos sejam felizes.  Compaixão e o desejo de que eles se libertem do sofrimento e suas causas.

A emocao mais difícil  de se entender e o amor.  Como tudo que criamos, nada e simples.  Claro que o ego tem que complicar e deturpar todos os sentimentos que temos, assim fazendo se torna impossível se ver um sentimento tão puro pelo que e. 

Uma das dificuldades e o tipo de amor que oferecemos e exigimos.  Quando “precisamos” do amor, nos queremos um amor estático. Qualquer mudança no objeto da nossa afeição, nos resistimos.

O Curso ensina que o amor e um sentimento completamente diferente do que pensamos ser.  O amor oferece liberdade.  Este amor não cobra.  Apenas ama.  Amor que “precisa” do outro e um amor de dependência. 
Amar com o coração aberto, não exige.  E igual.  O Budismo se refere a este amor como non-attachment.  Isto e, completa aceitação de outro ser humano, sem tentar mudar nada nele, aceitando a sua necessidade de liberdade para ser autentico.
O amor eterno e imparcial.  Transcende as coisas superficiais que criamos, exatamente para nos afastar dos outros, para nos proteger, para no fim não ficarmos vulneráveis, e elevar este amor a uma vibração alta.

O amor aceita mudanças.  O amor abre o coração.  Penso que este e uma das grandes razoes que colocamos tantos obstáculos nas nossas relações.  Nunca nos abrimos totalmente, esperando sempre  o pior.  Quando acontece, pelo menos estamos protegidos contra a dor.  Este comportamento e sempre influenciado pelo passado, pelo o ego. 

Podem estar certos que estes ensinamentos não são apenas mais um exercício intelectual, onde sabemos um pouco mais sobre as possibilidade de mudanças internas.

Praticando as lições, mudamos a maneira de pensar, a maneira de ver o mundo, as pessoas, a nossa participação neste mundo, as possibilidades existentes quando o amor e a emoção predominante.  Quando desenvolvemos o habito de pedir a parte divina dentro de nos para nos orientar em cada situação, nos estamos dando oportunidade do universo participar nestas decisões.  O medo se afasta, mesmo que lute para permanecer, aos poucos vai perdendo a sua influencia. 


De repente a vida se torna mais alegre, sem dramas.  A maior vantagem desta mudança e que quando o drama aparece, nos queremos nos livrar dele, em vez de como no passado usar o drama para esquecer quem somos.


Nenhum comentário: