14 de abr de 2012

Traduzi parte da introdução feita  pelo Dr. Willis W. Harman, em 1983, no livro Journey Without Distance escrito pelo autor Robert Skutch. Este livro documenta a historia do "Um Curso em Milagres." 



Nesta introdução Dr. Harman oferece a melhor descrição do que acontece internamente quando estudamos  "Um Curso em Milagres." que li ate agora. Suas palavras tiveram uma ressonância enorme dentro de mim porque tenho vivido estas experiências nos últimos dez anos.  Quis compartilhar estes pensamentos para que o estudante do Curso não pense que esta sozinho quando sente confusão, quando tem mais perguntas dentro de si, do que respostas.  A mudança interna eh quieta, inexorável.  O “Professor Interno” sabe das nossas necessidades. O que podemos fazer para ajudar este processo eh ter confiança no divino, achar dentro de nos a paciência, a  fe, o amor necessários para o crescimento espiritual/psicológico que transforma a mente egoica nessa maravilhosa experiência que eh a divindade interna.


(Tentei permanecer fiel ao texto de modo que algumas vezes algumas palavras podem parecer estranhas.  Como disse anteriormente, não falo português no meu dia a dia e as vezes sinto dificuldade de achar palavras adequadas para o que quero expressar.  Mas depois de quarenta e três anos aqui as vezes não e fácil e peco que perdoem o meu português.  Obrigada.)

                                             
                                               ============

.......Eu tinha muito que aprender sobre a ambivalência que os seres humanos sentem quando a procura mais profunda de quem são. Os exercícios diários afirmando uma nova maneira de pensar, parte do segundo volume do Curso, pareciam moderadamente interessantes. Eu não entendia naquela época o efeito subterrâneo que eles estavam tendo.O Texto, o primeiro volume, parecia confuso mas me dediquei completamente (assim pensei).


Seis meses depois fiquei surpreendido em notar que apesar de abrir o livro do Texto diariamente eu não me lembrava de ter terminado de ler uma pagina. Ou eu dormia ou a minha mente se distraia: Eu pensava nas tarefas que precisava fazer, me levantava e ia fazer.  Minha mente usava desculpas engenhosas para evitar o que pensava querer, isto e, aprender o conteúdo do Texto.

Com o tempo, a intenção do consciente, venceu a resistência do inconsciente

A conscientização de que este era o caso veio aos poucos.  De vez em quando eu me dava conta de certas situações que no passado teriam causado medo e hostilidade não tinham mais este efeito – ainda assim eu não tinha conscientização das profundas mudanças que estavam ocorrendo internamente
Me vi tendo uma confiança profunda na minha intuição, e a parte de mim que sabia de tudo (all knowing) aquela parte que perdoava ilimitadamente tinha visivelmente se fortalecido, sem meu conhecimento consciente das mudanças ocorrendo na parte inconsciente da minha mente.

Stress e dor desapareceram.  Minha vida se tornou mais ativa que em qualquer outro período anterior,  sem colocar o esforço que pensei precisar nos anos anteriores.  Aspectos da minha vida começaram a se harmonizar misteriosamente.  O que mais me impressionou nesta transformação foi a simplicidade deste novo caminho.  Uma parte mais profunda de mim, um “Professor Interno” ( “Inner Teacher”)  guiava as ações e removia os obstáculos e a mente consciente – aquela mente egoica racional, analítica que no passado  parecia ser a minha precária ancora a uma segurança imaginaria – veio a ser, naturalmente e confortavelmente, a servidora da mente profunda.  Isto pode parecer uma grande simplificação, mas a minha profunda conclusão veio a ser de que todos os problemas que experienciamos nas nossas vidas são ilusórios.

Existe apenas um problema, a nossa resistência em ver as coisas como elas verdadeiramente são, em sua totalidade.





Um comentário:

Lena Rodriguez disse...

Grata pelo texto/depoimento Barbara, eu acho muito importante falar de nós mesmos, de nossa própria vivência. Abraços,
Lena